Apresentação

A criação e o desenvolvimento do laboratório de materiais – labmat

Universidade Federal de Santa Catarina foi criada em 1960, pela lei número 3.849. Em maio de 1962, teve início a Área de Engenharias, sendo o seu primeiro curso a Engenharia Mecânica.  Visando aulas práticas, foram instalados vários laboratórios, dentre os quais o Laboratório de Ciência dos Materiais (LACIMAT), cujo nome foi alterado para Laboratório de Materiais em 1989, assumindo, então, a sigla LABMAT até a presente data. Até o ano de 1984, o LACIMAT realizava, predominantemente, prestação de serviços na área de ensaios mecânicos, análise de falha e metalografia, sob coordenação do Prof. Berend Snoeijer). Em 1978, o professor pesquisador visitante Silvestre L. G. da Conceição Nazaré (na época cientista do KIT/Karlsruhe, Alemanha) iniciou as primeiras atividades de pesquisa na área de Metalurgia do Pó, orientando as duas primeiras dissertações de mestrado nessa área na UFSC.

Em março de 1984, quando o professor Berend Snoeijer assumiu a chefia do Departamento de Engenharia Mecânica, o Laboratório de Materiais passou para a ser coordenado pelo prof. Aloisio N. Klein, que continua na coordenação até a data presente. A partir de 1987 o LabMat passou a integrar em seus projetos de pesquisa pesquisadores de outros departamentos, principalmente Física, Química e Engenharia Química, tornando a composição do grupo de pesquisa do LabMat multidisciplinar, uma característica que se mantém até a presente data. Essa integração ganhou mais força em 1991, com a aprovação do primeiro grande projeto multidisciplinar, sob coordenação dos professores Klein e Joel Muzart, intitulado “Desenvolvimento de Aços Sinterizados Nitretados por Plasma, no qual envolveram-se 10 professores da UFSC e cerca de 30 estudantes de graduação e pós-graduação e foi adquirida uma série de equipamentos essenciais às pesquisas na área de materiais.

A composição multidisciplinar da equipe LabMat permitiu um salto de qualidade nas pesquisas e resultou em um número significativo de artigos científicos, patentes nacionais e internacionais. Além disso, os investimentos e a integração gradativa de professores de vários cursos aos projetos em desenvolvimento no LabMat permitiram alcançar massa crítica para criação do Curso de Pós-graduação em Ciências e Engenharia de Materiais (1994) e do Curso de Graduação de Engenharia de Materiais (1999), vinculados ao Departamento de Engenharia Mecânica.

Desde a década de 80, foram sendo consolidadas as linhas de pesquisa em materiais processados a partir de pós (metalurgia do pó e cerâmica) e os processos de plasma e laser aplicados a materiais. Na década de 90 ainda foram introduzidas as linhas de pesquisa das áreas de tribologia e materiais poliméricos.

As pesquisas voltadas ao uso de plasma (gás ionizado gerado por descarga elétrica em ambiente sob baixa pressão) contribuíram para que um dos principais parceiros do LabMat, a Embraco, decidisse pelo uso da nitretação por plasma em componentes sinterizados de seus compressores herméticos. Assim, a nitretação por plasma evoluiu da escala laboratorial para escala-piloto, e, em 2007, para a escala industrial, com uma célula de nitretação por plasma projetada e construída em parceria pela Embraco e pelo LabMat.

Outra empresa parceira do LabMat decidiu investir nos projetos na área de metalurgia do pó e plasma: a Lupatech, de Caxias do Sul (RS). Como resultado dessa parceria nasceu o processo conhecido internacionalmente como PADS (Plasma Assisted Debinding and Sintering), patenteado no Brasil e no exterior pela Lupatech e por professores do LabMat.

Em 1992, por meio de um projeto coordenado pelos professores Orestes Alarcon e Aloísio Klein, foi implantado um sistema de certificação para a cerâmica de revestimento produzida no Brasil. Empresas como Portobello, Cecrisa e Eliane acreditavam que a certificação traria maiores oportunidades para negócio em Santa Catarina, que produzia 58% da cerâmica brasileira.Como resultado desse trabalho foi criado, em junho de 1993, o Centro Cerâmico do Brasil (CCB), em São Paulo, com participação ativa dos professores do LabMat, assim como o Centro de Tecnologia Cerâmica de Criciúma (CTCmat), inaugurado em 1995.

Ao longo dos últimos 20 anos muitos projetos de natureza multidisciplinar foram desenvolvidos interdisciplinarmente na área de materiais e seus processos de fabricação, gerando uma série de patentes de novos processos, novos materiais e produtos para funções de engenharia especificas. Destaca-se o elevado número de projetos desenvolvidos e parcerias com empresas, sendo o maior parceiro na área de materiais, há 28 anos, a EMBRACO. Outras empresas e ainda mantém parcerias são: Lupatech, Fundição Tupi, WEG, Cerâmica Porto Belo, Cecrisa, Eliane, entre outras, etc.

Facebook Twitter